De que está à procura ?

Desporto

Vitória de Guimarães teve o pássaro na mão…

O Vitória de Guimarães perdeu com o Hajduk Split por 3-1, num jogo em que esteve a vencer antes de se desconcentrar e de sofrer três golos nos 30 minutos finais, em jogo da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Conferência Europa de futebol.

Depois de uma primeira parte em que evitaram o ‘risco’, anulando a dinâmica ofensiva dos croatas, a equipa portuguesa concedeu mais espaço na segunda parte, desconcentrou-se mais vezes e, apesar de ter ‘inaugurado o marcador’, num ‘golaço’ de Miguel Maga, sofreu a reviravolta, com vários erros à mistura.

A formação vimaranense está agora obrigada a vencer por três golos de diferença na segunda mão, marcada para as 17:00 de 10 de agosto, em Guimarães, se quiser seguir em frente e defrontar os espanhóis do Villarreal no ‘play-off’ de acesso à fase de grupos da competição da UEFA.

Com Mikel Villanueva em estreia no eixo da defesa, André Almeida de regresso ao meio-campo e Nélson da Luz na ala esquerda, em vez de Jota Silva, os vitorianos privilegiaram o rigor posicional nos 20 primeiros minutos e só os erros na saída de bola permitiram ataques croatas, quase sempre mal definidos.

O conjunto vimaranense libertou-se da pressão contrária a meio da primeira parte, tendo até beneficiado de três cantos consecutivos, mas sem perigo, antes de ver o Hajduk criar as duas oportunidades de golo da primeira metade.

Emir Sahiti ganhou espaço pela esquerda em contra-ataque, aos 39 minutos, e rematou para defesa de Bruno Varela, guarda-redes que voltou a negar o golo aos croatas ao minuto 45, perante o remate de Marko Livaja.

Com Dani Silva no lugar de André Almeida após o intervalo, a formação vimaranense ‘soltou-se’ com bola, mas perdeu organização defensiva e viu Stipe Biuk rematar para defesa de Bruno Varela, aos 56 minutos, e Josip Vukovic atirar ao lado, aos 58, antes de ‘surpreender’ com o golo inaugural.

Miguel Maga ‘aventurou-se’ pela direita, combinou com Rúben Lameiras e enquadrou-se com a baliza para um remate forte, ao ângulo superior direito, indefensável para Lovre Kalinic.

O treinador Moreno Teixeira trocou, de seguida, André Silva por Anderson e Jota Silva e Nélson da Luz, mas a equipa continuou desconcentrada, a ceder várias ‘clareiras’ utilizadas pelo Hajduk para se aproximar das redes de Bruno Varela, e o empate surgiu aos 67 minutos, numa insistência de Marko Livaja que culminou num remate ao poste e na recarga certeira de Emir Sahiti.

A formação de Split lançou-se ainda mais para o ataque com um golo do empate e ‘operou’ a reviravolta oito minutos depois, com Dário Melnjak a beneficiar de um erro crasso de Miguel Maga para se isolar pelo lado esquerdo e rematar fora do alcance do guardião vitoriano.

Em desvantagem, os vitorianos ficaram ainda mais ‘desorientados’, sem a dinâmica ofensiva suficiente para ‘encostar’ o adversário à área, e voltaram a sofrer ao minuto 87, num lance com origem num passe errado de Dani Silva, aproveitado por Filip Krovinovic, ex-Rio Ave e ex-Benfica, para um ‘disparo’ ao ângulo superior direito que selou o resultado final.  

TÓPICOS