De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Desporto

Seleção portuguesa de andebol termina europeu em sexto

A seleção portuguesa de andebol terminou no sexto lugar do Euro2020, a melhor classificação de sempre no torneio continental, mas foi a terceira mais eficaz em remates de campo, com um total de 64%.

Portugal marcou 205 golos em 319 tentativas e apenas é superado pelos 68% da Espanha, que vai hoje defrontar a Croácia na final da prova, e os 66% da Alemanha, pela qual foi derrotada no sábado, em Estocolmo, no jogo de atribuição do quinto e sexto lugares, por 29-27.

A equipa nacional não foi tão eficaz da marca dos sete metros (13.ª), com 23 golos em 31 remates, o que, ainda assim, elevou o total de golos para 228, marca que apenas fica atrás Noruega, Espanha, Eslovénia (todas semi-finalistas) e Alemanha, devendo ainda ser ultrapassada pela Croácia.

O ponta direito António Areia foi o melhor marcador luso, com 26 golos, 12 dos quais através de penálti, não integrando a lista dos 20 mais concretizadores, liderada pelo norueguês Sander Sagosen, que já bateu o recorde do Europeu, com 65 remates certeiros.

A seleção lusa foi também a que efetuou mais passes, num total de 6.344, número para o qual contribuiu decisivamente o central e estratega Rui Silva, com 1.300 efetuados, mas pode também ser destronada no domingo pelas finalistas Croácia (6.109) e Espanha (5.872).

Por outro lado, Portugal foi, depois da Eslovénia, a formação que teve mais perdas de bola (80), apesar de ser a nona neste capítulo negativo em média por jogo (10), e a quarta mais indisciplinada, com 12 cartões amarelos e 34 exclusões por dois minutos.

A equipa portuguesa foi a quinta que mais correu (234,8 quilómetros) e a que saltou mais alto – os 75 centímetros do central Miguel Martins -, sendo ainda protagonista do terceiro remate mais forte (139 km/h), protagonizado pelo lateral esquerdo André Gomes.

Alfredo Quintana foi a grande figura de Portugal no Euro2020 e é, por enquanto, o terceiro guarda-redes com maior número de defesas, com um total de 84 intervenções (31% de eficácia), assumindo-se como o jogador nacional mais utilizado e o sétimo da prova, com um total de 374 minutos.

O lateral esquerdo Fábio Magalhães é, para já, o quarto jogador com maior número de assistências, com 30, numa classificação liderada por Sagosen, com 53, e na qual Miguel Martins segue em 12.º lugar, com 25, enquanto o ponta esquerdo Fábio Antunes efetuou o segundo ‘sprint’ mais rápido, a 31 km/h.