De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Portugal

Que tipo de casas compram os portugueses?

Tendo por base os dados dos últimos 10.000 utilizadores do ComparaJá.pt, o portal de comparação financeira revela qual o perfil e preferências de quem solicita crédito habitação. Entre as principais conclusões do Barómetro do Crédito Habitação 2020 destaca-se o facto de cerca de 7 em cada 10 famílias pedirem crédito habitação com o fim de adquirir casas já construídas, optando pela solução “chave na mão” no que toca ao crédito imobiliário.

Por outro lado, cerca de 2 em cada 10 famílias (18% mais concretamente) preferem pedir o crédito com o intuito de construírem uma habitação de raiz.

Já o resto dos casos (10%) são compostos por consumidores que já têm um crédito a decorrer e, para pouparem em juros aproveitando a descida dos spreads, optam por transferir o empréstimo para outra instituição.

Portugueses gastam, em média, 149 mil euros na compra de casa

Também conforme os dados do portal de comparação, entre os portugueses que recorrem a financiamento para comprar casa, o valor médio gasto na aquisição do imóvel fixa-se em 149 mil euros. Analisando em detalhe a distribuição dos montantes solicitados verifica-se que a grande maioria dos agregados não vai além dos 174.999 mil euros em gastos na aquisição de uma nova habitação.

Uma percentagem considerável (17,2%) adquire casas cujo valor não ultrapassa os 74.999 mil euros, enquanto o grosso está naqueles que pedem entre 75.000 euros a 124.999 mil euros e 125 mil euros a 174.999 mil euros. São 28,5% e 30%, respetivamente.

Casas escolhidas têm, em média, 116 m2

No que diz respeito à dimensão da casa, a área bruta média dos imóveis adquiridos pelas famílias que recorreram ao portal de comparação é de 116 m2. Aliás, é no intervalo dos 75 m2 aos 124 m2 que se nota uma maior preferência dos portugueses, tendo 35% adquirido uma habitação neste intervalo de dimensões.

Também é de referir os intervalos de até 74 m2 (21% dos casos), dos 125m2 aos 174 m2 (19%) e dos 175 aos 274 m2 (17%), como tendo percentagens relevantes nas escolhas dos utilizadores. Por outro lado, apenas 5% escolhem uma casa que tenha mais de 275 m2.

T3 é o predileto na altura de escolher casa

Na altura de escolher casa nova, o T3 foi a tipologia preferida por quase metade dos últimos 10.000 consumidores que recorreram ao serviço de crédito habitação do ComparaJá.pt. É seguido pelo T2, mas a uma distância já considerável: apenas 28% pediu financiamento para comprar uma casa com esta tipologia.

O T4, apesar de ter valores já afastados destas preferências, ainda reúne alguma preferência das famílias (14,6%) que compraram casa com recurso a crédito. Destaque contrário vai para o T0 com 0,5% das escolhas e o T1, com apenas 5,5% dos consumidores a querer comprometer-se com um crédito habitação para comprar uma casa com esta tipologia.

Quais os bancos que têm sido mais competitivos no crédito habitação?

Por sua vez, com base no universo dos utilizadores que recorreram ao serviço de comparação de Crédito à Habitação do ComparaJá.pt no primeiro semestre de 2020 para obter propostas das diferentes instituições bancárias, o portal de comparação distinguiu os bancos mais competitivos em seis categorias.

Os bancos que se destacaram pela competitividade das propostas apresentadas aos utilizadores do ComparaJá.pt nesta primeira edição do “Barómetro do Crédito Habitação” foram:

  • Crédito Habitação para Aquisição: Santander
  • Crédito para Construção: Eurobic
  • Crédito Habitação com Taxa Fixa: Novo Banco
  • Transferência de Crédito Habitação: Santander
  • Processo mais rápido no Crédito Habitação: Millennium bcp
  • Comissões iniciais mais baixas no Crédito Habitação: Eurobic

(A metodologia detalhada sobre os fundamentos que levaram à atribuição das distinções poderá ser consultada aqui.)