De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Desporto

MMA: noite decisiva para Pedro Carvalho

O lutador português Pedro Carvalho entra esta sexta-feira, 13 de março, no octógono de Mohegan Sun Arena, em Uncasville, Connecticut, EUA, para defrontar Patrício “Pitbull” Freire, naquele que será o combate mais importante da sua carreira. Caso vença, o vimaranense sagra-se campeão na categoria peso-pena e conquista um sonho de criança.

Tal como o BOM DIA já havia noticiado, o atleta, de 24 anos, apurou-se para os quartos de final do Grande Prémio Mundial Bellator após ter vencido por ‘submissão’ o norte-americano Sam Sicilia, em San Jose, no estado da Califórnia (Estados Unidos), no dia 07 de setembro de 2019, mas pode já sagrar-se campeão ao enfrentar o detentor do título, Patrício Freire.

“Não só pelo nome que é, mas também pelo título do mundo que está em jogo, sem dúvida que, até à data, esta é a luta mais importante da minha carreira. Mas é apenas mais uma luta. Após eu ganhar o combate, irei fazer história. Eu sei disso, mas treino para muito mais do que isso”, disse em entrevista à agência Lusa, na pausa de um treino decorrido num espaço da antiga fábrica Asa, em Guimarães.

A residir na Irlanda desde 2017, o lutador vimaranense venceu os quatro combates que disputou desde a entrada no Bellator, em 2018, e acabou escolhido para o combate por Patrício Freire, lutador que venceu 30 das 34 lutas realizadas no circuito desde 2010 e que tem esse direito enquanto campeão mundial no peso inferior a 65,8 quilos desde abril de 2017.

Aquando do sorteio dos quartos de final, em 29 de setembro, o brasileiro, de 32 anos, apelidado de ‘pitbull’ no meio, disse que o português é um “lutador duro” e que, por isso, o escolheu para defender o título, mas Pedro Carvalho respondeu que Patrício Freire, mesmo sendo “um dos melhores de sempre” no circuito, nunca enfrentou alguém como ele.

Questionado sobre a influência desses ‘jogos psicológicos’ no desempenho apresentado, o atleta luso realçou que o teor das declarações na antevisão aos combates “varia de atleta para atleta”, não existindo “nenhum tipo de mau sentimento” entre ele e Freire, mas assumiu que o fator mental é aquele que mais influência a decisão do vencedor.

“Quem faz um bom ‘mind game’ pode levar vantagem, porque torna a luta mais pessoal. Isso faz com que o seu oponente comece a cometer erros, porque já vai abordar a luta de uma maneira diferente. Já não vai abordar a luta de uma maneira fria. No MMA, a vitória é 80% psicológica e 20% física”, explicou.

Apesar de Patrício Freire ter “clara experiência” e ser um competidor “bastante guerreiro”, dada a “capacidade de surpreender” mesmo quando está a ser dominado, Pedro Carvalho considerou ser mais forte “no ‘striking’ e no jogo no chão” e ter mais hipóteses de vencer à medida que o combate se alonga.

“Eu luto muito melhor em combates longos do que em combates mais curtos”, disse, referindo que a sua condição física pode ser uma vantagem.

Caso vença o combate, o vimaranense vai defrontar, nas meias-finais, o vencedor da luta entre o norte-americano Emmanuel Sánchez e o alemão Daniel Weichel, também agendada para esta sexta-feira (13 de março), no mesmo local, e já assumiu que, além de conquistar o título, deseja também vencer o torneio.

Pedro Carvalho soma 11 triunfos em 14 combates numa carreira iniciada em setembro de 2012, numa luta com o brasileiro Edi Vicente, em Viseu, que ganhou por ‘submissão’.