De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Motores

Miguel Oliveira iguala o seu melhor resultado de sempre

O português Miguel Oliveira (KTM) igualou hoje o seu melhor resultado de sempre no MotoGP, ao terminar o Grande Prémio de Espanha no oitavo lugar, prova ganha pelo francês Fabio Quartararo (Yamaha) se estreou a vencer. O piloto de Almada só tinha conseguido idêntico resultado no Grande Prémio da Áustria de 2019, no circuito de Spielberg.

Apesar de se ter qualificado na 17.ª posição para esta prova de abertura da temporada, cujo arranque foi adiado desde 08 de março devido à pandemia de covid-19, o piloto português arrancou do 15.º lugar devido às ausências por lesão do espanhol Alex Rins (Suzuki), que caiu no sábado, e do britânico Cal Crutchlow (Honda), que caiu na sessão de ‘warm-up’ desta manhã.

Numa corrida que começou com um minuto de silêncio de homenagem às vítimas da pandemia, o português sentiu algumas dificuldades nas voltas iniciais, numa altura em que a KTM RC16 ainda tinha o depósito de combustível cheio.

Com o passar das voltas, Oliveira foi subindo de ritmo, ganhando algumas posições, incluindo ao italiano Valentino Rossi (Yamaha), que acabaria por desistir pouco depois.

A meio da corrida, o piloto luso já estava na nona posição, quando foi ultrapassado pelo espanhol Marc Márquez (Honda).

O campeão em título vinha a recuperar posições depois de uma saída de pista quando liderava a corrida, que o deixou em 16.º, conseguindo recuperar até à terceira posição.

Mas, a quatro voltas do final, uma derrapagem da traseira da Honda deixou Márquez definitivamente por terra, agarrado ao pulso direito, e o português no oitavo lugar.

Miguel Oliveira tentou um ataque final à sétima posição, do italiano Francesco Bagnaia (Ducati), mas que ficou curto.

O português terminou, ainda assim, a 414 milésimos de segundo da sétima posição, numa corrida com cinco abandonos (Marc Márquez, Valentino Rossi, Iker Lecuona (KTM), Joan Mir (Suzuki) e Aleix Espargaró (Aprilia), e duas ausências.

Assim, 20 anos e 304 dias depois, um piloto francês voltou ao lugar mais alto do pódio, com Fabio Quartararo, da equipa satélite da Yamaha, a Petronas, a cortar a meta em primeiro lugar.

Com 21 anos e 90 dias, Quartararo tornou-se no oitavo mais novo de sempre a vencer uma corrida de MotoGP, ultrapassando Rossi, que vai substituir na equipa oficial da Yamaha na próxima temporada.

O francês gastou 41.21,796 minutos, deixando o espanhol Maverick Viñales (Yamaha) em segundo, a 4,603 segundos. O italiano Andrea Dovizioso (Ducati), que partiu uma clavícula há apenas duas semanas, foi o terceiro classificado, a 5,603 segundos.

Com estes resultados, Quartararo é o primeiro líder do campeonato, com 25 pontos, mais 17 do que Miguel Oliveira, que é oitavo e tem oito.

A próxima corrida disputa-se novamente no circuito de Jerez de la Frontera, no próximo domingo.