De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Lifestyle

Interior de Portugal vai ter festival literário sob o signo do fogo

A cooperativa Arte-Via prepara a realização do Festival Literário Internacional do Interior – Palavras de Fogo (FLII).

Esta iniciativa tem já o Alto patrocínio da Presidência da República e da Assembleia da República, e o apoio da Direção Geral do Livro dos Arquivos e das Bibliotecas, da Fundação Calouste Gulbenkian e Turismo de Portugal, CCDRC, Direção Regional da Cultura do Centro, entre outros, e decorrerá de 15 a 18 de junho, em onze concelhos do interior do país.

O FLII possui um caráter inovador, uma vez que se trata de uma realização intermunicipal, e pretende levar os livros e os escritores aos sítios mais inusitados e imprevisíveis, como fábricas, campos, escolas, praias, igrejas, mercados, romarias, locais onde as pessoas trabalham, convivem, ou seja, os livros vão ao encontro dos públicos, pode ler-se em comunicado dos organizadores.

O conceito subjacente a este festival é o de uma realização sinérgica, catalisando os recursos dos municípios integrantes do consórcio, rentabilizando e potenciando o melhor que cada um possui, num esforço conjunto de superar as adversidades e, em nome da palavra regeneradora onde houver pessoas haverá livros, eles estarão nos sítios mais inesperados, à mão de quem os quiser ler, os escritores portugueses e estrangeiros irão aos locais mais surpreendentes, os livros e as palavras farão novamente renascer a cor por entre o negrume.

Estão já confirmados os escritores portugueses José Luís Peixoto, Pedro Mexia, Ana Filomena Amaral, Nuno Júdice, Clara Pinto Correia, Maria Antónia Palla, Miguel Manso, Jorge Reis-Sá, Rosário Alçada Araújo, António Tavares, Manuel Pedroso Marques, Hélder Beja, João Miranda, Aires Henriques, Cristina Delgado, Fernando José Rodrigues, Mário Beja Santos, Joana Lopes, Rui Lourido, José Pinho, aos quais se juntam os seguintes autores estrangeiros: Luís Sepúlveda e Carmen Yañez, Chile, Mempo Giardinelli, Argentina, Rafique-um-Munir Chowdhury, Bangladesh, Julia Wong, Peru, Seid e Sibila Serdarevic, Croácia, Yao Feng, Macau, Sónia Freitas e José Mauro Brant, Brasil, Prabda Yoon – Tailândia, Filinto Silva, Cabo Verde, Márcia Sousa, Cabo Verde e Jerónimo Pizarro, Colombia.

Este festival conta já com a parceria de vários outros festivais congéneres, nacionais e internacionais: Folio, Portugal, The script Road, Macau, Fraktura, Croácia, Fli Araxá e Flipoços, Brasil, Festival de Poesia em Chepén, Perú, Galway Literary Festival, Irlanda, Vilenica International Literary Festival, Eslovénia, Mundo do Sal, Cabo Verde, Encontro de Escritores de Língua Portuguesa, entre outros.
O programa, a divulgar oportunamente, será constituído por vários painéis com escritores, poetas, jornalistas, agentes culturais, tradutores, diretores de festivais, editores, e irá decorrer em todos os municípios abrangidos pelo consórcio, haverá ainda workshops, apresentações de livro, música, teatro, exposições, cinema. De 16 para 17 de junho, de sábado para domingo, terá lugar uma maratona em todos os concelhos com várias atividades literárias, musicais, teatrais, etc. Criar-se-á uma residência literária, no concelho de Castanheira de Pera, cuja inauguração se fará no decurso do festival.

A Arte-Via Cooperativa, instituição que lançou e coordena este festival pretende que, sob o signo das palavras de fogo, se entreteçam as linhas que farão reanimar esta região e colocá-la na rota da cultura e dos festivais literários de Portugal e do mundo.