De que está à procura ?

Portugal

Empresa luso-alemã quer recrutar mais 40 informáticos no Porto

© DR

A tecnológica de saúde luso-alemã Kenbi quer contratar 40 engenheiros informáticos no Porto, onde tem um centro tecnológico, depois de levantar 23,5 milhões de euros numa ronda de investimento, adiantou esta quarta-feira, em comunicado.

Assim, a empresa “está a reforçar a equipa do escritório do Porto depois de ter levantado uma ronda de 23,5 milhões de euros junto de investidores”, indicou, detalhando que “pretende agora contratar mais de 40 engenheiros informáticos no norte de Portugal”.

Segundo a mesma nota, a tecnológica foi “fundada na Alemanha pelo português Bruno Pires, com outros dois fundadores”, um suíço e uma alemã, e tem como missão “transformar digitalmente todo setor da assistência domiciliária, expandindo-o a toda a população independentemente da idade e aumentar o alcance dos seus serviços por toda a Alemanha”.

A empresa indicou que “desde a sua fundação, em 2019, […] já angariou mais de 30 milhões de euros e cresceu de 12 para 430 funcionários, 80% mulheres”.

Esta ‘startup’ foi “fundada há apenas três anos, pouco antes do início da pandemia” e decidiu tentar resolver “um problema de tempo nos enfermeiros: 40% do tempo de trabalho de um enfermeiro está ligado à burocracia e papelada”.

“A solução que a Kenbi apresentou foi a de usar tecnologia para aliviar a falta de pessoal de enfermagem, conseguindo resultados de eficiência ao poupar 20% no tempo de quem exerce a profissão. Por outro lado, a empresa está a desenvolver ferramentas que ajudam os familiares na gestão com a empresa e os cuidadores”, destacou, na mesma nota.

Segundo a empresa, no futuro, o seu objetivo passa por explorar a integração dos “serviços de atendimento domiciliário com avanços modernos de atendimento, como sistemas de farmácia ‘online’, modelos de telemedicina assistida por enfermeiros, dispositivos domésticos conectados e análises de ‘big data’ para assistência médica preditiva”.

“Por mês, a Kenbi consegue promover 48.000 visitas de cuidadores e enfermeiros, aliviando assim a grande falta de profissionais de enfermagem”, referiu.

“A Kenbi é aceite por todos os seguros de saúde alemães”, o que “significa que os pacientes têm os seus custos de cuidados de saúde graves e de longo prazo cobertos, independentemente do serviço de escolha”, salientou.

“Através da nossa tecnologia, desenvolvida no Porto, conseguimos resolver um problema: a falta de tempo dos cuidadores. Esse tempo perdido, maioritariamente, em tarefas burocráticas, é transformado em maior flexibilidade para trabalhar e maior oferta de cuidados”, disse Bruno Pires, cofundador e CTO (administrador com o pelouro da tecnologia) da empresa, citado na mesma nota.

“Com este investimento vamos ampliar as inovações tecnológicas para o cliente, que vão além do mercado-alvo de idosos, criando uma categoria de assistência médica em casa para uma população mais ampla: agenda de serviços, relatórios de atendimento, contactos da rede de atendimento e um ‘marketplace’ para solicitação de ofertas adicionais”, rematou.

#portugalpositivo

TÓPICOS