De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Mundo

Pisco: Gala dos Prémios Lusofonia une os povos de língua portuguesa

A Gala dos Prémios Lusofonia, que no dia 27 realizou a segunda edição, “é um acontecimento da maior importância para unir os povos de língua portuguesa, ao reconhecer em várias categorias, da cultura à economia, do associativismos à intervenção cívica este universo comum em que os cidadãos da CPLP se movem”, considerou o deputado do PS eleito pelas Comunidades na Europa, Paulo Pisco, no momento em que foi agraciado com o Prémio Cidadania 2018 pela sua intervenção cívica na defesa do aprofundamento da CPLP e da valorização daquilo que considerou ser o extraordinário potencial das diásporas destes países.

Para o deputado, é fundamental que os Estados membros da CPLP e as suas instituições procurem sempre aprofundar a cooperação e os mecanismos de funcionamento da CPLP, de forma a que ela possa ser mais eficaz ao serviço dos seus cidadãos e que se avance no caminho de uma verdadeira cidadania, com direitos reforçados e uma mobilidade que favoreça todos. Considerou também da maior importância que se prossigam os esforços de implementar os objetivos comuns de desenvolvimento, como surgem nos Planos de Ação de Brasília e de Lisboa, no domínio da Língua, do Ensino, da Cultura e da Ciência.

Paulo Pisco considerou particularmente importante que os Governos dos Estados-Membros da CPLP valorizem o extraordinário potencial das diásporas existentes nos países onde não se fala português e que é em praticamente todos os países do mundo, objetivos que, de resto, constam dos vários documentos com as conclusões das Cimeiras e nas orientações da Nova Visão Estratégica da CPLP (2016-2026), aprovadas em Brasília em 2016.

“Esta será não apenas uma forma de aproximar os cidadãos da CPLP que estão emigrados nos quatro cantos do mundo, mas também de tornar mais audível a sua voz, onde quer que estejam. As diásporas da CPLP possuem um potencial extraordinário para promover no mundo a língua e a diversidade de culturas dos países membros, alargando assim este universo fantástico que é a Lusofonia”, considerou Paulo Pisco na sua intervenção.

Na mesma cerimónia foram também galardoados com o prémio Lusofonia, Domingos Simões Pereira, ex-secretário Executivo da CPLP e ex-Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau, Fátima Lopes na categoria Moda, Tito Paris recebeu o prémio Música, Nélida Piñon foi a galardoada na área da Literatura, Gabriela Carrascalão, recebeu o prémio na área das Artes Plásticas, entre outros.
Os Prémios Lusofonia é uma iniciativa impulsionada por Isabel Leitão e entre os membros do júri conta com personalidades tão conceituadas como o embaixador Lauro Moreira, os escritores Mário Máximo e Tony Tcheka e Helder de Oliveira.