De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Portugal

Marcelo: papel desportivo e nacional de Ronaldo jamais será apagado

O presidente da República afirmou esta sexta-feira que o jogador de futebol Cristiano Ronaldo jamais deixará de ter um papel desportivo e nacional apesar de estar “envolvido na justiça”, por alegada violação de uma mulher norte-americana.

“Eu não mudo de ideias quanto ao papel desportivo e nacional que alguém que esta sexta-feira está envolvido na justiça teve na vida do nosso país. Isso existe e é uma realidade”, afirmou o chefe de Estado referindo-se às queixas de uma norte-americana de que teria sido violada, em 2009, por Cristiano Ronaldo.

Marcelo Rebelo de Sousa, que falava esta manhã aos jornalistas, em Lisboa, durante as comemorações do 5 de Outubro, pediu que se deixe que “a justiça seja feita” e que se aguarde pelo fim para “olhar para as conclusões”.

O jogador da Juventus, de 33 anos, é acusado por Kathryn Mayorga, que diz ter sido violada por Cristiano Ronaldo em 13 de junho de 2009 durante uma festa num hotel de Las Vegas, no estado norte-americano do Nevada.

A polícia local anunciou na segunda-feira a reabertura da investigação, depois de Kathryn Mayorga, professora, de 34 anos, ter apresentado queixa na semana passada num tribunal do condado de Clarck, Las Vegas.

Kathryn Mayroga denunciou a presumível violação à polícia de Las Vegas em 2009 e foi submetida a exames médicos, mas, segundo as autoridades, recusou-se a identificar o alegado agressor, uma versão contrariada na quarta-feira por um dos seus advogados, Leslie Stovall, que garante que a sua cliente nomeou Cristiano Ronaldo.

Os advogados, que dizem não perceber por que parou a investigação, vão apresentar uma ação contra Ronaldo pelos crimes de violação sexual, tentativa de assédio sexual, coação para fraude, agressão a uma pessoa vulnerável, conspiração, difamação, abuso de processo, tentativa de silenciar o caso, tentativa de concretizar um acordo de não divulgação, negligência e violação de contrato.

Assim que for notificado, o internacional português da equipa italiana Juventus terá 20 dias para responder à queixa.