De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Opinião

(CR)7 Considerações sobre barrigas de aluguer

Ultimamente, as dúvidas, estas delinquentes seguidoras da incerteza, filhas de Descartes, têm actuado em grupos desorganizados e têm intensificado a sua actividade criminosa, assaltando cada vez mais pessoas, desde o analfabeto ao professor catedrático, passando pelos políticos… ah, estou-me a repetir, desculpem… já disse analfabetos… aos entregadores de pizas. E qual é a dúvida que mais tem assaltado os portugueses, em casa, no trabalho, no café, nas casas de alterne? Ora bem, essa temível dúvida é a seguinte: “Mas que raio se passa com Cristiano Ronaldo e a barrigas de aluguer?” Cristiano Ronaldo voltou a recorrer aos serviços de uma barriga de aluguer para gerar o seu segundo filho. Esperem aí! Fonte líquida, das boas, está aqui a dizer-me que esta barriga de aluguer estava em saldo, tipo: “leve dois pelo preço de um”, pelo que CR7 aproveitou e, em vez de um vai ter dois filhos da barriga de aluguer e isso é fantástico ou não fosse o nosso herói nacional completamente fascinado por bolas. E claro que a bola da sua segunda gravidez tinha que superar a bola da primeira gravidez, a do pequeno Cristiano Ronaldo Jr. E a haver terceira gravidez, aposto que vão ser trigémeos! Sempre bolas de diâmetro em crescendo. Grande Ronaldo!

Outra coisa que eu não compreendo é a seguinte: se Ronaldo tem assim tanto dinheiro, porque é que ao invés de alugar, ele não compra logo a barriga de vez? Assim, podia gerar ele próprio uma equipa de futebol sem estar sujeito às variações de cotação do mercado das barrigas de aluguer. Tinha falta de um ponta de lança: batia para a frente. Tinha falta de um guarda-redes: batia com luvas. Tinha falta de um defesa: batia para trás. E também podia usar a barriga para outros fins: por exemplo, quando lhe apetecesse comer um delicioso petisco com muitas calorias, tipo um cozido à portuguesa ou umas tripas à moda do Porto, em vez de ser a barriga de CR7 a comer, podia ser a dita barriga de aluguer a empaturrar-se com estas iguarias. Assim, esta barriga extra além de servir para gerar os seus filhos, podia servir também para gerar os seus gases intestinais, pois fica muito mal a um craque como Ronaldo dar umas valentes bufas. Vale ou não vale a pena comprar uma barriga em vez de a alugar, grande Ronaldo? É como um avião: a barriga está sempre disponível, porque nunca se sabe quando te vai apetecer ter um filho ou “comer” uma feijoada e levantar voo entre as nuvens (de gases) de felicidade!

Diz a imprensa inglesa que a mãe dos gémeos é uma americana de San Diego. Será que Donald Trump deixará D. Dolores entrar em território norte-americano para ir buscar os netos? Duvido muito, na medida em que o característico e cerrado sotaque madeirense da D. Dolores por vezes se confunde com o árabe…

E porque é que ele não recorre a uma barriga de aluguer portuguesa? Pelo menos poupava uns milhões, já que a lei nacional prevê a gratuidade deste tipo de contrato. E, para mais, Ronaldo possui os requisitos exigidos a quem quer recorrer às barrigas de aluguer em Portugal: “o recurso à gestação de substituição apenas é permitido nos casos de ausência de útero (…)”. E, como sabemos, CR7 não tem útero, pelo que poderia, portanto, recorrer a uma barriga de aluguer no seu país de origem. Mas aposto que depois de ver as candidatas… Maria Leal, Carolina Salgado, José Castelo Branco… desistiu. Ficará Ronaldo por aqui? Penso que não! Enquanto não chegar aos 7, CR do mesmo não descansará. E porque teima Ronaldo em preferir “comprar” os filhos já feitos em vez de os conceber com as suas namoradas? Terá CR7 algum problema na “seringa” de inseminação ou, pura e simplesmente, ele é mais um daqueles betinhos que acha que só o que é “made in USA” é que é bom? “Ah, chique, chique é comprar os filhos nos USA. Eu comprei os meus putos lá. O parvalhão do Messi é que teve de os fazer ahahaha…”. Se a moda de “não fazer filhos directamente” pega, ainda teremos os multimilionários a contratar imigrantes do Bangladesh para fazerem filhos às mulheres: “Sabes Slim, tenho sete filhos, três de barrigas de aluguer, dois de um tipo do Bangladesh e outros dois de um transsexual que conheci no facebook. Assim fico com mais tempo para os meus negócios”.

Depois de toda esta questão urge a questão principal, ou seja, a grande interrogação: serão os filhos mesmo de Cristiano Ronaldo? Sabemos que a inseminação das barrigas de aluguer é feita de forma artificial, pelo que se recorre a esperma recolhido manualmente (ou não) pelo pai da criança. Sabemos também que, não obstante CR7 ser um exímio batedor (de marcas de grande penalidade e afins) o certo é que ele, por vezes, também falha. Então estou a pensar se ele não terá convencido João Moutinho a bater por ele: “Ohh ohh, anda bater, anda bater, anda Moutinho, tu bates bem”. Foi isto mesmo que Ronaldo disse a Moutinho em pleno(s) quarto(s) (de final do Euro 2016), recordam-se? E é desta forma, em narrativa aberta, que termino o meu texto desta semana: quem foi que bateu, afinal?

Nota de rodapé a chutar para canto: Já houve casos, relatados pela medicina, de gémeos filhos de pais biológicos diferentes, pelo que poderão ter sido os dois a bater, embora tal fenómeno seja uma raridade, tal como o é o incomensurável talento de CR7!

 

Daniel Luís