De que está à procura ?

belgica
Lisboa
Porto
Bruxelas, Bélgica
Portugal

Árvores e arbustos atenuam impacto das barreiras em frente ao Mosteiro da Batalha

O presidente da Câmara da Batalha disse esta segunda-feira que dez mil exemplares de variadas espécies vão ser colocados junto às barreiras de betão em frente ao Mosteiro Santa Maria da Vitória.

“Vão ser plantadas dez mil espécies, entre árvores, arbustos e plantas, que vão dissipar completamente o impacto visual das barreiras que nesta fase estão à vista, tornando mais agradável e mais atrativa a área e permitindo ver-se o mosteiro, porque irão intercalar com placas transparentes”, disse à agência Lusa Paulo Batista Santos, na sequência de um esclarecimento hoje emitido pelo município.

A colocação das barreiras junto ao Itinerário Complementar n.º 2 (IC2) defronte do Mosteiro da Batalha está a ser contestada, com populares a defenderem, ao invés, a isenção de portagens na autoestrada 19 (A19).

A A19 é uma autoestrada que liga Batalha a Leiria, numa extensão de 16,4 quilómetros, tendo sido inaugurada em novembro de 2011. Foi construída para retirar grande parte do trânsito daquele itinerário e minorar os efeitos do ruído e da poluição decorrentes da circulação automóvel junto ao monumento.

Paulo Batista Santos salientou que a colocação deste jardim vertical “cumpre a função relevante de redução das emissões de dióxido de carbono para o mosteiro”, que é Património Mundial da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura Mundial há mais de 30 anos, “organismo internacional que já por duas vezes notificou o monumento devido aos impactos do tráfego automóvel no IC2”.

“Aqueles que se interessam pelo património podem ficar tranquilos porque estamos muito atentos ao desenvolvimento do projeto e, havendo necessidade de retificar alguma coisa, também o faremos desde que o objetivo primordial do mesmo – a preservação e a valorização do monumento – sejam garantidas”, assegurou o autarca social-democrata.

No esclarecimento, a câmara “reconhece que o estado atual da obra não é o mais interessante, sob ponto de vista do impacto visual gerado pelos maciços de betão”, reiterando que o “resultado final desta importante intervenção ambiental garantirá uma resposta consonante face aos graves e notórios sinais de degradação que o mosteiro apresenta”.

O município refere novamente que o “projeto de intervenção em curso resulta de parceria com a Direção-geral do Património Cultural e a concessionária Infraestruturas de Portugal, e que, para além da instalação da cortina arbórea na zona frontal do monumento, integrará ainda a construção de uma ecopista, que devolverá este espaço à população, bem como a melhoria das instalações sanitárias existentes nas imediações do mosteiro e dos espaços afetos ao estacionamento”.

O projeto deverá estar concluído no final do próximo mês.

O Mosteiro de Santa Maria da Vitória, no distrito de Leiria, resultou do cumprimento de uma promessa feita pelo rei D. João I, em agradecimento pela vitória na Batalha de Aljubarrota, travada a 14 de agosto de 1385, que lhe assegurou o trono e garantiu a independência de Portugal.